Entrevista: Rebeca Prado autora do quadrinho Navio Dragão!

Autor do Post: Victor Candido.

Ela é dona de umas páginas mais fofas e divertidas do Facebook, tem um estilo fofo, criou diversos personagens cativantes como a viking Lif e o cachorrinho Carne, além de fazer tirinhas que transmitem mensagens sobre a vida de forma única e divertida.

Estamos falando de Rebeca Prado que através da sua página INC, conquistou milhares de fãs (inclusive eu).

Atualmente a ruivinha de Minas Gerais possui muitos projetos publicados como o quadrinho Navio Dragão e o Baleia#3.

Para conhecer mais sobre esta pessoa que “nem conheço e considero pakas” confiram a nossa entrevista!!!

A caso queiram adquirir algum exemplar de suas obras podem clicar aqui. 

Apoiem o cenário nacional de quadrinhos!!!

Navio Dragão foi um grande sucesso financiado pelo Catarse!

 

 Fale um pouco sobre você: Uma pequena introdução de quem é Rebeca Prado.

 Bom, eu sou a Rebeca. Sou mineira, quadrinista, ilustradora e professora. Sou formada em Artes Visuais com habilitação em Cinema de Animação pela UFMG, já publiquei dois livros e faço uns quadrinhos para a internet. Também trabalho com ilustração editorial para livros e revistas. Eu sou uma péssima cozinheira e não sei andar de bicicleta.

Qual é a sua maior influencia?

 Depende da época. Nesse exato momento, eu tenho várias influências permeando meu trabalho. Mas desde sempre o Shaun Tan, a Jill Thompson, a Verabee, o Liniers e a Sarah Andersen são influências constantes.

O que te levou a fazer as suas tirinhas?

 Eu sempre reparava que tinha vontade de contar umas histórias pequenas, engraçadas e, vez ou outra, meio cotidianas. Mas não sabia exatamente como traduzir isso graficamente. Com o tempo eu fui me adaptando ao formato da tira e pegando o tempo para fazer as piadas.

Como foi o processo de criação da personagem Lif?

 Eu comecei a rabiscar vikings num caderno de esboços. Rabisquei vários. Fiz umas historinhas com eles e tudo mais. Daí fui percebendo que uma personagem em particular ficava ali circundando mais que os outros. Fui trabalhando nela até chegar numa versão final.

 

Você se baseia em familiares e amigos na criação dos seus personagens?

 Sim! Todos os personagens do Baleia #3 são pessoas reais! Muita gente tá lá e nem sabe! 

Qual é a mensagem que você quer passar com as tirinhas da série “Vida Adulta”? 

 Quero que as pessoas não se sintam muito sozinhas. Todo mundo tem problemas, né?

 

 

Das séries “Viver é Pesado” e “Crônicas da Vida Adulta” qual é a sua tirinha favorita (aquela que você leva para a vida toda)?

Nossa, não sei! Gosto muito do bingo da melancolia, na verdade. Fico fazendo ele mentalmente o dia inteiro.

Como você reage a fãs e criticas? 

Olha, eu gosto de absorver críticas construtivas e tentar aprender com elas. E o carinho dos leitores faz muita diferença pra mim. É realmente importante saber o que eles estão pensando.

Já pensou em escrever um livro?

 Já sim. Morro de vontade. Mas acho que ainda não estou pronta pra dar esse passo, não.

Qual é a sua visão do mercado nacional de quadrinhos?

 Acho que está engatinhando de um jeito bem saudável. Ainda não está fervendo em termos de popularização e existem muitos nichos. Mas a produção aumentou bastante nos últimos tempos e o reconhecimento vem crescendo.

Pra você o que é ser autora independente?

Eu ainda não sei bem. Estou aprendendo aos pouco a diferença entre ser independente e trabalhar em parceria com editoras ou outros órgãos. Mas acho legal a ideia de ser responsável por todas as etapas da produção, apesar de ser algo meio pesado.

Se você ganhasse a oportunidade de trabalhar em uma grande editora (como a Marvel e DC) e aceitasse,  qual personagem você gostaria de desenhar e porque? (pergunta de Enem hahaha).

Eu gostaria de desenhar a Batgirl! Ela é minha personagem favorita do universo dos super heróis, e eu achei o máximo essa nova fase dela.

 

BatGirl <3

 

Existe algum plano de dar continuidade a Duas colheres de maus hábitos ou algo do tipo?

 Olha, na verdade, não. O André e eu fizemos aquela parceria pra uma publicação muito específica, que foi na Bienal de Quadrinhos de Curitiba. Fizemos baseados num texto dele e foi bem divertido, mas era um texto fechado.

Sobre este projeto cliquem aqui para conferir é maravilhoso!

Quais são suas dicas para quem quer começar a trabalhar com quadrinhos? 

 Coragem e disciplina. As vezes é difícil mostrar o nosso trabalho, porque somos muito inseguros. Mas quem não é visto, não é lembrado. E a gente precisa aprender a lidar com as críticas construtivas e não sucumbir com as críticas destrutivas (porque elas vão vir). E muita disciplina pra manter uma rotina saudável e concreta.

Recomende uma série, um livro e um filme! 

Nossa! Difícil! Mas tá, vamo lá.

Uma série: Community

Um livro: Os homens que não amavam as mulheres

Um filme: A Bruxa

Obrigado por ter lido esta entrevista não deixem de curtir a nossa pagina e a pagina de Rebeca Prado!

VictorCandido Autor

Blogueiro há um bom tempo, escreveu para o GameReporter e para o seu antigo blog Revista Games. Agora é dono dessa bagaça chamada Versus O Mundo e fala sobre tudo que á de bom no mundo.